Para muitos alunos e alunas estudar é uma tarefa que se faz antes das provas. Esta atitude é um equívoco muito grande e causa prejuízos na qualidade da aprendizagem. Estudar deve ser um exercício diário, sistemático e organizado. Estudar na véspera de uma prova não desenvolve o raciocínio, a capacidade de interpretação e relações necessárias no momento de uma prova ou atividade.

Escutamos, muitas vezes, alguém dizer que estudou muito para uma prova e na hora “deu um branco” e não sabia o que responder. “Dar um branco” significa que a aprendizagem realmente não aconteceu. Muitos ainda usam o método da decoreba para estudar. Decorar páginas e páginas, termos, datas e não compreender o que está decorando vai resultar no “branco”. Afinal de contas nosso cérebro não foi feito apenas para armazenar informações. Quando conseguimos fazer relações, associações entre o que estudamos, conseguimos acessar as informações que passam a ser conhecimento.

No processo de estudar cada um precisa verificar o que entendeu, o que não ficou claro da explicação do professor e das leituras feitas para investigar e realmente compreender. Estudar um assunto sem entender o que se está estudando será perda de tempo. É preciso gastar tempo em cima de um assunto, pesquisar, fazer exercícios, sintetizar.

Uma rotina de estudos, com horários e materiais necessários é importante para que o aluno crie um ritmo de aprendizagem, melhore sua capacidade de memória e atenção. Estudar exige metodologia e ferramentas. As crianças devem iniciar esta metodologia de estudos por volta do 3º ano do Ensino Fundamental e gradativamente irem aperfeiçoando para chegarem no Ensino Médio, com nível de exigência e abstração maior, podendo dar conta sem estresse e outras dificuldades.

Desde pequenas as crianças devem ser incentivadas a ler todos os dias e a fazer pequenos registros para desenvolver a escrita objetiva. Estudar é muito bom quando percebemos os resultados e a importância desta dedicação para evoluirmos e nos aperfeiçoarmos. Nos dias de hoje, com a competitividade no mercado de trabalho, é importante que nossas crianças e jovens aprendam a buscar o aperfeiçoamento sem a necessidade de serem melhores que ninguém, mas superarem a si mesmas a cada dia.

Contribuição da psicopedagoga do Espaço Dom Quixote,

Janete Cristiane Petry