Assunto recorrente quando se fala em educação nos dias atuais, o uso de tecnologias ainda gera dúvidas e posicionamentos diferentes. Será que devemos utilizá-las ou são apenas distrações para o ensino?

Os estudos a respeito do funcionamento do cérebro na aprendizagem mostram que diferentes inputs, ou seja, entradas são importantes para uma aprendizagem mais eficiente. Isto quer dizer que ter acesso a um conteúdo através de mais de um sentido favorece a fixação da aprendizagem. Ter em uma aula oportunidade de ouvir a explicação do professor, ver um vídeo a respeito, organizar um trabalho manual, ler um texto sobre o assunto nos traz maiores condições de aprender.

Também é verdade que cada um tem uma maneira mais eficiente para aprender, tem quem estude melhor lendo, fazendo resumos, gravando aulas e escutando, fazendo esquemas, etc e tudo isso deve ser levado em conta na hora da preparação da aula.

E por que não se utilizar das tecnologias neste planejamento? O professor pode mandar links de vídeos para os alunos verem nos seus tablets, sugerir podcasts para ouvirem nos seus smartphones. O que também desperta a atenção dos alunos é a produção de conteúdo digital para compartilhar nas redes sociais. Não se pode negar que a tecnologia está muito próxima dos alunos, então se alie a ela!

Claro que a tecnologia não substitui o bom professor, mas pode auxiliá-lo neste processo tão rico e cheio de possibilidades que é a aprendizagem.

Contribuição da fonoaudióloga do Espaço Dom Quixote,

Fernanda Helena Kley Garcia