O Transtorno do Espectro Autista (TEA) é um distúrbio de desenvolvimento que se caracteriza pela dificuldade na comunicação social e comportamentos repetitivos e estereotipados. Embora as pessoas com TEA partilhem essas dificuldades, cada uma será afetada com uma intensidade diferente dependendo do seu estado. Cada criança apresenta um nível de TEA: alguns são óbvios desde a primeira infância e outros são sutis e quase imperceptíveis.

É importante entender que indivíduos com Transtorno do Espectro Autista têm dificuldade em compreender a linguagem corporal de outras pessoas, bem como suas expressões faciais e entonações de voz. Além disso, por terem dificuldade na comunicação, eles nem sempre estão cientes de que estão se comportando de maneira inadequada ou incomodando o outro.

Para ajudar uma criança autista, é necessário aprender tudo o que puder sobre seu transtorno primeiro, já que elas não conseguem compreender a maneira como outras pessoas se comunicam e por isso precisam de instruções bastante explícitas e metódicas sobre como se comportar ou falar com outros.

Diga que o comportamento é inadequado sempre que ele ocorrer, apontando exatamente onde ele errou, como poderá corrigir o erro e evitar que ele aconteça da próxima vez. Isso também vale para acertos: “Você está errado porque pegou o brinquedo do seu amigo sem pedir para ele, agora ele está chorando e você deve pedir desculpa por fazer isso. Você precisa sempre pedir permissão para brincar com as coisas de outras pessoas”, “Você fez um bom trabalho ao ajudar sua amiga a arrumar os brinquedos espalhados no chão, sempre que outra pessoa precisar de ajuda, você deve ajudar”.

Na escola, é importante ressaltar que uma criança com TEA não possui um desenvolvimento de aprendizagem linear e concreto. É esperado que ela demore muito a entender uma certa atividade e subitamente alcance o nível de habilidade esperado para sua idade. Elas também são capazes de, ao mesmo tempo, realizar atividades extremamente complexas para sua idade e ter dificuldade em cumprir as tarefas mais básicas.

No entanto, o ambiente escolar é um grande potencial para auxiliar a criança a melhorar suas habilidades sociais de comunicação e a seguir instruções e rotinas. Utilize figuras detalhadas sobre o que irá acontecer no dia: escovar os dentes, hora da leitura, educação física, aula de matemática.

Ofereça o máximo de estímulo visual para que sua compreensão seja mais rápida e motive-a através de recompensas como adesivos, desenhos ou objetos que contenham seus personagens favoritos, você conseguirá que ela fique atenta por mais tempo.

Retirado do site www. pearsonclinical.com

Colaboração: Psicopedagoga Janete C Petry